Tag Archives: release

Arte da guerra na sua vida

28 Dez

Particularmente eu gosto de ler coisas orientais porque, como já disse antes, é uma coisa que abre a cabeça. Tem muita coisa interessante na nossa filosofia, mas a oriental traz conceitos tão diferentes quanto ricos, eu busco sempre tentar encontrar minhas próprias respostas, e por isso, nada melhor que ver a vida sob outros pontos de vista.

Arte da Guerra” é aquele tipo de livro que a gente sabe que vai ter que ler um dia, no meu caso, esse dia chegou quando resolvi comprar pela primeira vez um daqueles livros das máquinas de livros do metrô, a edição não é tão ruim (mesmo eu nunca me satisfazendo com essas traduções).

É um tratado militar escrito no século IV a.c. por Sun Tzu, e sim, ele só fala de guerra e estratégias bélicas, e não há nenhuma nota de editor dizendo “olha como isso tem a ver com o seu dia a dia”, e mesmo assim é possível se fazer muitos paralelos. Eu vou colocar muitas frases aqui, mas não substitui a leitura, pois não é só o que está sendo dito mas todo o contexto e porquês, que nem se eu quisesse eu conseguiria colocar aqui.

Praticamente ele vai descrevendo quais são os caminhos do fracasso e sucesso numa guerra, simples, direto, sem complicações, e vai contando algumas histórias para ilustrar. (todos grifos meus)

“Vencer cem vezes em cem batalas não é o auge da habilidade, mas, sim, subjulgar o inimigo sem precisar lutar.”

Vamos lá…coisa bonita pra se ler e reflertir

“Faça com que soa força seja percebida pelo inimigo como fraqueza, e sua fraqueza como força. Ao mesmo tempo, aja de maneira tal que a força dele se torne fraqueza; assim, descubra onde ele não é realmente tão forte… Esconda suas pegadas de forma que o adversário ou ninguém possa discerni-las; mantenha o silêncio para que o hostil ou ninguém possa ouvi-lo”.

E agora uma bem ao estilo “Be Water, my friend” do Bruce Lee:

“Pode ser chamado de divino quem é capaz de vencer por modificar suas táticas de acordo com a situação inimiga pois, dos cinco elementos, nenhum é sempre predominante; das quatro estações, nenhuma dura para sempre; dos dias, uns são longos e outros curtos, e a lua cresce e míngua.”


Que tal essa pra explicar pro seu chefe, que sem trabalho em equipe vai sempre se estar atrás da concorrência. (por mais recursos e dinheiro que se tenha).

“Sendo o exército confuso e suspeito, os regentes vizinhos serão um permanente problema. Um exército confuso leva o outro à vitória.”

ou

“Um general hábil busca vitória pela situação e não a exige de seus subordinados, sabe selecionar os homens certos e estes exploram a situação.

Essas praqueles momentos que você se sente pressionado a agir sem saber se deve, praqueles que não sabem distinguir covardia de bom senso:

“Será vitorioso aquele que sabe quando pode lutar e quando não pode.”

“Será vitorioso quem sabe quando usar tanto as grandes quanto as pequenas forças.”

“Os habilidosos na guerra podem tornar-se invencíveis, mas não podem causar a vunerabilidade inimiga”

“A invencibilidade reside na defesa; a possibilidade de vitório, no ataque”

Pra um eventual bibliotecário que esteja lendo isso

“Geralmente, não há diferença entre administrar muitos e administrar poucos. Trata-se de uma questão de organização”

E para um eventual arquiteto de informação

“O que é difícil, na arte das manobras, é fazer com que o desvio seja o mais direto possível, transformando o infortúnio em vantagem”.

tem essa também

“Não podem conduzir a marcha de um exército aqueles que não conhecem as condições de montanhas e florestas, desfiladeiros, pântanos e terrenos perigosos. E os que não usam guias locais são incapazes de obter as vantagens do terreno.”

E pra quem se sente com pouca inspiração….aqui uma lição de criatividade:

“São apenas cinco as notas musicais; contudo as melodias que estas produzem são tão numerosas que é impossível ouvir a todas.

São apenas cinco as cores primárias, entretando, as combinações que produzem são tão numerosas que é impossível visualizar a todas.

São apenas cinco os sabores, mas suas misturas são tantas que é impossível provar a todas.

Na batalha, temos situação idêntica:temos somente forças normais e extraordinárias, mas suas combinações não têm limites, ninguém pode compreender a todas.”

É, o livro é uma lição, do tipo… apenas faça, tem tudo que precisa das mãos

“Na batalha, valha-se de uma força normal para o combate e utilize a extraordinária para vencer”.

“Aparente  confusão é produto da boa ordem; aparente covardia, de coragem; aparente fraqueza, de força. Ordem ou desordem dependem de organização; coragem ou covardia, das circunstâncias; força e fraqueza, das disposições.”

E mais filosoficamente

“Há certas estradas que não se deve seguir.”

Sobre auto conhecimento

“…aquele que conhece o inimigo e a si mesmo, lutará cem batalhas sem perigo de derrota; para aquele que não conhece o inimigo, mas conhece a si mesmo, as chances para a vitória ou para a derrota serão iguais; aquele que não conhece nem o inimigo e nem a si próprio, será derrotado em todas as batalhas…”


E pra terminar, segundo Sun Tzu, para se atrair a derrota, há seis condições básicas (né)

“- Desdenhar o cálculo da força inimiga

– Ausência de autoridade

– Treinamento ineficaz

– Cólera injustificável

– Desrespeito à disciplina”

Pra quem curte a parte sangrenta da coisa, não é por acaso que Jet Li está  ajudando a ilustrar o post, deixo o trailer do filme “Senhores da Guera” (“The Warlords“) que é o ambiente que imagino que tenha sido o que o Sun Tzu escreveu seu tratado, e um ótimo filme para quem gosta de filmes do tipo.

Liberdade ou Amor?

29 Nov

Na verdade este post é mais sobre liberdade  e companhia, mas como falarei da companhia amorosa, escolhi este título.

Estou sempre às voltas com esses pensamentos…é melhor ter alguém ou é melhor ser totalmente livre? É uma coisa que todas as pessoas se perguntam e eu sempre falo  – as duas coisas tem lado bom e lado ruim, e eu, sinceramente não tenho opinião formada sobre qual é melhor.

Este fim de semana assisti – finalmente o famigerado – Comer, Rezar e Amar….que tinha também essa temátiva. Por várias vezes me identifiquei com a personagem e sua busca. O filme vale muito a pena, uma das lições que eu já tinha tomado e agora retomei é a de se permitir. Não se culpar por sofrer, por ter saudade,  por odiar, por amar…

Quando você sufoca o sentimento ou o pensamento ele não te deixa, fica ali, só esperando um momento de fragilidade para te levar ao desespero. Quando você aceita seus sentimentos perante as coisas, fatos e pessoas, é possível que você os resolva dentro de si…e aos poucos eles vão se transformando, e de repente você não sofre mais com aquilo.

Tem uma frase do Fernando Pessoa, meu poeta favorito que gostaria de compartilhar

“A Liberdade é a possibilidade do isolamento.

Se te é impossível viver só, nascente escravo.”

(Fernando Pessoa)

Por sorte, por destino, por coincidência, ou mesmo por vontade, não vivo só. Não tenho uma vida de contos de fada, mas me faz muito sentido ela ser assim.

Dizem também que não podemos por nossa felicidade na mão de outra pessoa e também que não podemos precisar de outra pessoas para nos completar. Eu ainda não vivo isso…e confesso, acho maravilhoso ter alguém que complete meus dias e  a minha vida.

Tenho ainda uma frase do Chico Buarque, gênio; e uma música da Norah Jones, diva; que me remeteram aos pensamentos que hoje compartilho aqui.

“I wouldnt need you” – Norah Jones

“Morre de amor quem é capaz”

(Chico Buarque)

 

Deixo aqui também o trailer do filme Comer, Rezar e Amar

….

mi amore

mi amore

(como sempre digo pra ele….até os pássaros, que podem voar tão longe, precisam de companhia, é para isso que fomos feitos…é da nossa natureza)

Eu quero a sina de um artista de cinema

29 Out

quer ouvir primeiro?

Eu quero a sina de um artista de cinema
Eu quero a cena onde eu possa brilhar
Um brilho intenso, um desejo, eu quero um beijo
Um beijo imenso, onde eu possa me afogar

..Beijo imenso...

..Beijo imenso…

Eu quero ser o matador das cinco estrelas
Eu quero ser o Bruce Lee do Maranhão
A Patativa do Norte, eu quero a sorte
Eu quero a sorte de um chofer de caminhão
Pra me danar por essa estrada, mundo afora, ir embora

…Estrada…

Sem sair do meu lugar
Pra me danar, por essa estrada, mundo afora, ir embora
Sem sair do meu lugar
Ser o primeiro, ser o rei, eu quero um sonho
Moça donzela, mulher, dama, ilusão

..Ilusão…

Na minha vida tudo vira brincadeira
A matinê verdadeira, domingo e televisão
Eu quero um beijo de cinema americano

..Beijo de Cinema Americano...

..Beijo de Cinema Americano…

Fechar os olhos fugir do perigo
Matar bandido, prender ladrão
A minha vida vai virar novela
Eu quero amor, eu quero amar
Eu quero o amor de Lisbela
Eu quero o mar e o sertão
Eu quero amor, eu quero amar
Eu quero o amor de Lisbela

amor

 

O filme “Lisbela e o Prisioneiro” é uma graça…doce e divertido – trailer. Assisti faz um bom tempo… Essa é a letra de uma das músicas do filme, a composição é do Caetano.

Mas você simplesmente não encontra essa versão na internet, apenas com Los Hermanos cantando…

Tá…não é ruim..mas não chega aos pés do próprio Caetano Cantando, por isso eu subi ela na net e está nesse link, é só clicar e ouvir…e pode baixar também! 😉

LINK — >   Caetano Veloso cantando \”Lisbela\”

…Como foi possível notar, eu salvei também o áudio no meu tumblr

——————–Atualização do post em 26.08.2012————————

Encontrei dois vídeos no youtube com o caetano cantando *_*

“Uma longa caminhada começa sempre pelo primeiro passo.”

7 Out

Sei um pouco sobre muita coisa, mas sempre pouco sobre cada coisa.

Sempre tive uma fascínio pelo oculto, pela espiritualidade, por histórias bonitas e sofridas…daí meu interese quando criança pelos santos e mártires.

Sou de uma família católica, eu gostava da igreja, não da missa…não dos dogmas…eu gostava de saber sobre a vida de Jesus, dos santos, gostava de ouvir coisas bonitas da bíblia, gostava de ver a arte, as paredes, os vitrais, do geladinho dentro das igrejas, do cheiro de rosa, do cheiro de incenso, energia positivia sempre me puxava como um imã.

Eu quis começar o catecismo antes da idade certa (eu já era adiantada na escola também), e era muito aplicada…ainda que…desde a primeira aula eu questionasse muitas coisas…e ouvia sempre “é o mistério”…naquela época eu não entendia direito o que era esse tal de “mistério”.

Enfim…anos depois…conheci muitas outras religiões, sempre tentei aprender com todas elas, já passei da fase de preconceitos…e acredito que onde tem intenção e energia boa, onde nosso coração se aquece é onde tem espiritualidade…e isso basta.

O que eu gostava muito de ouvir era a história dos santos…não sei até que ponto era verdade ou mentira…mas eram lindas…e me cativavam…e me acompanham até hoje.

Alguns anos atrás, estava em casa em Avaré no fim de semana, largada no sofá…nada na TV e começou o filme da Madre Teresa de Calcutá. O que eu me lembrava dela era algumas imagens dela bem velhinha, e aquela frase linda:

” A paz começa sempre com um sorriso”

 

Mother Teresa in Calcutta

 

—————————————————————————————————————

Enfim…o filme começou e aí, pode não ser uma super produção, mas é tocante…belíssimo. Ouvi muitas coisas bonitas e uma história de uma mulher forte e determinada, que literalmente entregou sua vida para ajudar outras pessoas…não quero entrar no mérito de religiões, mas pessoas como ela, certamente fogem do comum, se beatas, santas, mártires, não importa o nome, são seres iluminados e com AMOR e CARIDADE dentro de si.

Guiada por uma fé e generosidade sem tamanho, enfrentado oposição de todo o tipo, ela deixou as fronteiras de um convento e foi – literalmente – para o meio do povo, amar e ajudar os que precisavam. Boa parte do filme mostra a missão na Índia. Ela começou praticamente do nada, praticamente sozinha…quando alguém perguntou se ela achava que ia chegar muito longe sem ajuda do governo, das pessoas da cidade, e da própria igreja, ela disse

“Uma longa caminhada começa sempre pelo primeiro passo.”
 

 

primeiro passo

 


Pesquisando depois vi que talvez essa frase seja de Lao Tsé, o que importa foi o contexto…ela não desanimou, apenas seguiu o que acreditava. Ás vezes desistimos perante coisas tão pequenas, cada passo é importante, cada detalhe…a vida não é divertida e animadora o tempo todo…temos de esperar e não desanimar, apenas fazer a nossa parte e ter fé…
—————————————————————————————————————
Um outro texto bem bonito:
“Muitas vezes, as pessoas são egocêntricas, ilógicas e insensatas.
Perdoe-as, assim mesmo.
Se você é gentil, as pessoas podem acusá-lo de egoísta, interesseiro.
Seja gentil, assim mesmo.
Se você é um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros.
Vença, assim mesmo.
Se você é honesto e franco, as pessoas podem enganá-lo.
Seja honesto, assim mesmo.
O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra.
Construa, assim mesmo.
Se você tem Paz e é Feliz, as pessoas podem sentir inveja.
Seja Feliz, assim mesmo.
Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante.
Dê o melhor de você, assim mesmo.
Veja você que, no final das contas, é entre você e Deus.
Nunca foi entre você e as outras pessoas”.

—————————————————————————————————————
O filme é de 2003, “Mother Teresa of Calcutta”, segue o trailler:
—————————————————————————————————————
Encontrei aqui e aqui algumas outras frases dela.
E por fim…o objetivo de quem escreve, de quem vive e deseja um mundo melhor:
“Senhor,
Permite-me que, quando algém falar comigo,
ao se afastar de minha presença
tenha se tornado uma pessoa melhor”.
Madre Teresa

Sobre armas I

1 Out

o-reino-proibido

Certa vez um professor da faculdade disse que o conhecimento consistia mais em fazer ligações entre as coisas do que propriamente se aprofundar num assunto específico…outros professores diziam a mesma coisa, com palavras diferentes.

O fato é que depois disso, nos trabalhos acadêmicos, eu tentava buscar relação entre o conceito que eu lia e alguma outra vivência minha, outra coisa que havia lido, assistido, escutado…eles costumavam chamar isso de intertextualidade. No fim das contas, acabei adquirindo esse hábito…é natural quando aprendemos uma coisa nova buscarmos relação naquele conhecimento que já temos. É óbvio…mas o pensamento óbvio não deve ser ignorado, só é óbvio aquilo que tem lógica perfeita.

Nelson Rodrigues disse “Só os profetas enxergam o óbvio”. Nesses tempos li algum texto, onde o autor (acredito que Bruce, mesmo), dizia que quando ele falava de uma ideia nova pra alguém e diziam “Claro! Isso é óbvio, não sei como não pensei nisso antes.”, ele ficava feliz, pois era sinal de que sua ideia era perfeitamente inteligível por outra pessoa.

Enfim, sem mais demoras nesse assunto, já que o tópico é outro…Vi um vídeo hoje na TV de um ciclista fazendo manobras incríveis…

Quando eu vi…pensei… Essa bicicleta parece parte do corpo do cara…

Esse mês completo um ano de kungfu, estou na transição de uma faixa pra outra, mas o mais importante nesse tempo não são as faixas que acumulei, e sim que o cresceu e evoluiu dentro de mim.

Uma coisa que brilhou meus olhos no meu primeiro dia de Kungfu foi o Antonio dizendo ” O kungfu é arte marcial que tem mais armas”, e eu ficava cada vez mais encantada com cada demonstração que via de armas. Ouvi muitas vezes os instrutores e o mestre dizer – “quando vc usa uma arma, ela se torna extensão do seu corpo“…para que o movimento seja natural, ela precisa ser uma prolongação do nosso corpo, assim como era a bicicleta para Danny MacAskill.

É bem mais fácil pra mim por todo esse pensamento em palavras aqui no blog do que praticá-lo durante os treinos…mas acredito que a consciência das coisas é o primeiro passo para o aprendizado.

Agora…uma cena do belíssimo clássico “O Tigre e o Dragão” … Vale muito a pena ver o filme inteiro quem ainda não conhece…é de tocar o coração do começo ao fim…pelo roteiro, pela beleza do cenário, da interpretação dos atores, das frases e das lutas (pra quem gosta).

Esse ano foi feito um remake de Karate Kid, dessa vez era Kungfu, com Jaden Smith e Jackie Chan. O filme é pra crianças…mas é prato cheio pra quem gosta de artes marciais e pra ver paisagens da China. O legal é ver Dre Parker (Jaden Smith) descobrindo o Kungfu com a ajuda de Mr. Han (Jackie Chan).

Na super produção de James Camerom “Avatar“, também de 2010, os nativos de Pandora, Na’vi, tinham uma habilidade de conexão com a natureza, aí tanto animais quanto plantas, onde se fundiam e agiam como um só. O filme é legal pelos efeitos especiais (foi o primeiro que assisti em 3D) e pela mensagem de “salve o planeta”, ainda que a história seja bem batida…

Vou deixar outros dois vídeos …

Um comercial da Nokia com em homenagem ao Bruce Lee

E a apresentação de um artista marcial num campeonato de Kungfu

Por hoje é isso…Apenas a visão de uma iniciante no Kungfu, apaixonada pela arte e todas as suas conexões…

Quem tiver filmes pra indicar, por favor…comente!

Michelle Yeoh in "The Mummy: Tomb of the Dragon Emperor"

Sobre anjos I

29 Set

“….Just like a star across my sky….”
There is so many stars in the sky, the first time we see it, we use to get deluded by their brightness, but the most time, they are just another in the universe….
“…Just like an angel off the page …”
Lucifer was an angel, they…definitely are not kind-hearted creatures…

By the way... … I know that I´ve  – already – found something so better than stars or angels…someone REAL

Inspiração….uma música que gosto muito, “Like a star” da Corinne Bailey Rae:



Ler devia ser proibido

21 Set

Incentivo à leitura é uma coisa que já tá do lado de dentro de gente que trabalha com biblioteca.

É a vontade que outros tomem posse do bem mais público e democrático que existe – o conhecimento humano – é o lado que mais me encanta na biblioteconomia.

– – – – – –  – – – – – – – – – – – – – – – — – – – – –  — – – – –  – – – – – – —

Campanha de incentivo à leitura idealizada e produzida por alunos da Universidade de Salvador:

– – – – – –  – – – – – – – – – – – – – – – — – – – – –  — – – – –  – – – – – – —

“Há aqueles que não podem imaginar um mundo sem pássaros;

há aqueles que não podem imaginar um mundo sem água;

ao que me refere, sou incapaz de imaginar um mundo sem livros.”

. Jorge Luis Borges .

– – – – – –  – – – – – – – – – – – – – – – — – – – – –  — – – – –  – – – – – – — – – – – – –

Essa campanha dos alunos de salvador me fez lembrar de uma das primeiras – e das mais relevantes importantes – coisas que eu vi como estudante de Biblioteconomia na ECA – a adaptação da ficção de Ray BradburyFahrenheit 451, o certo seria eu ler o livro também…mas fica a dica pro filme, que é muito bom ;D

– – – – – –  – – – – – – – – – – – – – – – — – – – – –  — – – – –  – – – – – – — – – – –

“Eu achara minha religião: nada me pareceu mais importante do que um livro.

Na biblioteca, eu via um templo”

. Jean Paul Sartre .

Da autobiografia do Sartre – “As palavras” – obra genial e deliciosa…assim que a li, a escolhi pra ser o prefácio do meu tcc. Fiquei encantada com o modo como ele descreve como nasceu nele o amor pelos livros, pela leitura.

– – – – – –  – – – – – – – – – – – – – – – — – – – – –  — – – – –  – – – – – – — – – – – – – –

Ps

-Não coloquei link pro meu tcc mesmo…quer mesmo ver…está no rabci…cuidado! Documento altamente técnico-acadêmico 😉

– Fiquei um bom tempo procurando um vídeo gringo de incentivo a leitura que vi uma vez…muito fofo, duas crianças trocando bilhete durante uma aula na escola…não achei =/, nisso descobri q é impossível pesquisar nos próprios tuites…assim que descobrir #comofaz eu posto ele aqui! –

– Essa semana a @tuka_roberta postou “Livros” com vídeos bem legais com essa mesma temática (confesso que não vi todos ainda :P)

%d bloggers like this: